509 – Do Além (1986)

aFH1zXuPQ2lGt09QlszmsnRtgA9

From Beyond

1986 / EUA / 86 min / Direção: Stuart Gordon / Roteiro: Dennis Paoli, Brian Yuzna e Stuart Gordon / Produção: Brian Yuzna, Bruce William Curtis (Produtor Associado), Michael Avery e Charles Band (Produtores Executivos) / Elenco: Jeffrey Combs, Barbara Crampton, Ted Sorel, Ken Foree, Carolyn Purdy-Gordon, Bunny Summers

Do Além é um filmaço!!!! Daqueles que agradam em cheio todos os fãs do horror. Baseado em um conto do H.P. Lovecraft, com Stuart Gordon na direção, Brian Yuzna na produção e o melhor ator lovecraftiano de todos os tempos, Jeffrey Combs protagonizando, o tiro é certeiro no alvo.

Antes de adentrar na resenha crítica em si, vamos lá aos meus causos pessoais que gosto de contar aqui no blog. Se eu falasse que eu tinha uma fita pirata VHS de Do Além vocês acreditam? Antigamente lá nos anos 80 havia algumas locadoras, principalmente essas pequenas de bairro, que tinham fitas piratas, pois sabem como é. Eu não sei como em casa nós conseguimos uma cópia do filme. Talvez tenha sido algum namorado das minhas irmãs mais velhas, ou então algum conhecido do meu primo. Não vem ao caso, mas acontece que de vez em quando apareciam algumas levas de VHS bucaneiros que ficavam lá em casa por uma cara. Essa acabou ficando para sempre e foi por isso que eu assisti e reassisti Do Além diversas vezes na infância, e até mostrei para meus amiguinhos.

Esse é um dos principais motivos de eu ser um PUTA fã do filme. Antes de descobrir a literatura de Lovecraft, ou antes mesmo de ver Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos (esse foi na Band, antes ainda da exibição no Cine Trash) eu me amarrava naquele filme mesmo sem entender porra nenhuma direito, mas gostava da trasheira, daquele clima sinistro e daquele tom rosa nenon do filme.

Antes dos créditos, assim como em Re-Animator, Do Além começa já chutando o balde. Combs (excelente mais uma vez) interpreta Crawford Tillinghast, assistente do genial e pervertido Dr. Edward Pretorius (Ted Sorel) que trabalham em uma máquina chamada ressonador, capaz de estimular a glândula pineal através de vibrações em uma frequência específica. A geringonça consegue alterar a percepção e tornar visível outra dimensão paralela, cheia de criaturas bizarras (ao melhor estilo Lovecraft) que convivem concomitantemente com nossa realidade. Extasiado com os efeitos do ressonador, como Pretorius alardeia, alguma coisa vem dessa dimensão (que não sabemos o que é) e resulta em sua morte.

Escoliose brava!

Escoliose brava!

Tillinghast é internado aos cuidados da Dra. Bloch (Carolyn Purdy-Gordon) e metido em uma camisa de força dentro de uma sala acolchoada. Como estava sob custódia policial, a proeminente Dra. Katherine McMichaels (Barabara Crampton) é chamada para ajudar nas investigações e junto com o policial Bubba Brownlee (Ken Foree) resolvem voltar à casa de Pretorius para provar a teoria de Tillinghast de que realmente alguma coisa veio de outra dimensão e comeu a cabeça de Pretorius.

Repetindo a experiência, todos descobrem essa dimensão paralela que só mostra-se visível por meio do estímulo da pineal, funcionando como uma espécie de terceiro olho, e que também desperta o apetite sexual dos envolvidos, e então vemos que Pretorius se transformou em uma asquerosa criatura amorfa que tem o interesse em fundir os dois mundos. Com uma pegada completamente bondage, Do Além mistura brilhantemente sexo e nojeira, extrapolando os limites do fetiche pelo sexo e pela carne humana e a busca por experiências extrassensoriais e mundos paralelos cheio de bizarrices e criaturas terríveis que espreitam nos cantos.

Sem dúvida um dos pontos mais interessantes é a pegada visual meio O Enigma de Outro Mundo (que por si já tem toda uma inspiração de Lovecraft), muito por conta da excelente maquiagem e efeitos visuais, principalmente a criatura a qual Pretorius se transforma, feita por Mark Shostrom (que ainda nos anos 80 fez maquiagem de A Hora do Pesadelo, Videodrome – A Síndrome do Vídeo e Uma Noite Alucinante). Além disso, vale a pena destacar a cena em que Bubba é atacado por um enxame de insetos dimensionais que devoram toda a sua carne e quando Combs, após a experiência dar terrivelmente errado, começa a ficar deformado e desenvolve uma glândula pineal saliente, lhe dando um apetite por cérebro humano. Nisso, a nojeira impera quando flagramos o outrora cientista comendo cérebros no laboratório de patologia e depois sugando a massa encefálica da Dra. Bloch pelo orifício ocular. É sensacional!

Gourmetização do cérebro

Gourmetização do cérebro

E falando especificamente dessa cena, ela só pode ser apreciada em todo seu esplendor gore, como diversas outras cenas, na versão uncut, restaurada em DVD pelo falecido canal à cabo americano Monster HD, apenas muitos anos depois de seu lançamento, já que no cinema uma versão editada para não tomar uma classificação X do MPAA fora exibida, e mesma coisa quando seu lançamento em VHS.

Outro ponto que sempre vale é a sacanagem, vendo a loirinha Barbara Crampton vestida de roupa de couro e fio dental, toda lasciva e cheia de amor para dar por conta da pineal hiper estimulada. E coitada das personagens da atriz nas mãos do diretor Stuart Gordon, hein? Enquanto em Re-Animator a moçoila ganha uma cunilíngua de uma cabeça decepada, aqui ela é bulinada pelo monstrengão disforme todo cheio de dedos querendo algo a mais.

O conto original Do Além tem apenas sete páginas, e basicamente está concentrado apenas nos primeiros minutos do filme. Depois é mérito total de Gordon, Yuzna e o roteirista Dennis Paoli por ter desenvolvido tão brilhantemente o resto da história, com toda a liberdade poética de explorar as criaturas, os efeitos nocivos do ressonador, a loucura de buscar por portas que nunca deveriam ser abertas por nós (tão tipicamente comum na obra de Lovecraft) e essa pegada sexual e fetichista, nos brindando com um visceral, sangrento e impactante filme de terror.

Quero lhe abusar!

Quero lhe abusar!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando Do Além:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Do Além não foi lançado no Brasil

Download: torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

16 Comentários

  1. AndyAnder disse:

    Jeffrey Combs + Lovecraft = Melhor combinação

  2. Tony Sarkis disse:

    Caramba, esse filme marcou muito a minha infância e também tinha esse filme em VHS. Esse filme deve ser visto em sua totalidade em formato HD, Na internet rola um release em alta definição que é a versão Uncut que na introdução do filme o Gordon fala o porquê da versão sem cortes e com mais gore. Agora essa Barbara Crampton é brincadeira, mulher maravilhosa!! O filme é a marca registrada do gênero da década de 80!! Uma obra-prima do horror!!! Maravilhosa Postagem!! Parabéns!!!

  3. […] Turistas e daí pra frente nos brindou com pérolas como Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos, Do Além, Ghoulies, Monster – A Ressurreição do Mal, Bonecos da Morte, O Monstro Canibal e muitas outras […]

  4. […] envolvem esses três nomes foram nada mais nada menos que Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além, coincidentemente duas adaptações da obra de H.P. Lovecraft, e que são dois dos maiores […]

  5. […] no meu post sobre Do Além, quando eu falei que vira e mexe aparecia em casa umas cópias piratas de filmes em VHS, oriundos […]

  6. […] você deve bem saber (assim espero) foi o produtor de Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além, ambos para a Empire Pictures de Charles Band, dirigidos por Stuart Gordon e baseados na obra de […]

  7. […] do público (afinal, Ken Foree é um sujeito bacana e querido, estrelou Despertar dos Mortos e Do Além) e da predileção por ele até de Bob Shaye, o presidente da New Line, que queria o sujeito nas […]

  8. EDU RAMONE disse:

    ”BARBARA CRAMPTON DEUSA LOIRA, NO AUGE DO CHARME & BELEZA ETERNA DEUSA…”

  9. […] Bartalos, assistente de maquiagem de filmes comoSexta-Feira 13 – Parte 6 – Jason Vive e Do Além, e membro da equipe de Rick Baker em Gremlins 2 – A Nova Geração e de Darkman – Vingança […]

  10. […] Leia a minha resenha sobre Do Além aqui. […]

  11. […] Necronomicon – O Livro Proibido dos Mortos é uma das boas antologias de terror baseada na sempre fantástica obra de H.P. Lovecraft, o Rei do Indizível, capitaneada por Brian Yuzna, sem dúvida o sujeito que melhor soube levar para as telas o seu universo macabro de criaturas pré-diluvianas terríveis que habitam nosso planeta (foi o produtor dos clássicos Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além). […]

  12. […] Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos (e dirigir a continuação, A Noiva de Re-Animator) e Do Além, baseado na obra de H.P. Lovecraft e diretor do sensacional A Sociedade dos Amigos do Diabo e […]

  13. […] dos anos 80 extraídos das páginas do Rei do Indizível: Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além. A única diferença é que este não tem a produção de Brian Yuzna, outro expert no gênero e em […]

  14. […] jogo rápido, o que O Dentista tem a ver com Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além, clássicos dos 80’s baseados nos contos de H.P. Lovecraft? Três nomes mágicos: o diretor Brian […]

  15. […] subestimado, a até menosprezado, sem o hype por trás de Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e Do Além, mas que em certos aspectos quanto adaptação da obra do Rei do Indizível e sobriedade visual, […]

  16. Hillian disse:

    A LEGENDA TÁ ATRASADA, SOCORRO, EU QUERO MUITO VER ESSE FILME E SÓ ENCONTRO AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *