Dupla dinâmica

551 – Criaturas 2 (1988)

critters-2-movie-poster-2-dvdbash-wordpress

Critters 2

1988 / EUA / 86 min / Direção: Mick Garris / Roteiro: Mick Garris, David Twohy / Produção:  Barry Opper; Daryl Kass (Produtor Associado); Robert Shaye (Produtor Executivo) / Elenco: Terrence Mann, Don Keith Opper, Scott Grimes, Liane Curtis, Roxanne Kernohan, Tom Hodges

Mais uma daquelas sequências bem bacanudas! Arrisco-me a dizer que é tão divertida quanto o primeiro Criaturas, lançado dois anos antes e que nos apresentou àquelas adoráveis bolas de pelos carnívoras vindas do espaço.

E sem dúvida nenhuma a grande melhoria na mitologia dos terríveis Critters é quando eles se juntam, todos eles, em uma gigantesca bola cheia de bocas com dentes pontiagudos (e mais pelo) e sai rolando pela pequena cidadezinha de Grovers Bend no Texas e deixando esqueletinhos de suas vítimas no chão. É MUITO CLASSE!

Criaturas 2 também é o primeiro filme do hoje veterano diretor do cinema de terror, Mick Garris, que ficaria mais conhecido por dirigir adaptações de vários filmes, telefilmes e séries de Stephen King, como A Dança da Morte, O Iluminado, Montado na Bala, entre outros, e criador da série Masters of Horror do canal Showtime.

Calvo

Calvo

Bradley Brown (Scott Grimes) o garoto ruivo clone do anão Ferrugem deixou a cidade com sua família depois de toda a confusão com os alienígenas há dois anos, e resolve voltar já um mocinho para o feriado de Páscoa. E não é que exatamente quando chega a cidade, dois caipiras encontram um bando de ovos deixados pelos Critters, que acabam chocando e liberando uma nova e maior leva das criaturas espevitadas sedentas por carne humana.

Também está de volta à Terra o ex-pinguço inveterado Charlie (Don Opper), que agora tornou-se um Caçador de Recompensas espacial junto de Ug (Terrence Mann) e sua aparência de roqueiro farofa poser descolada no primeiro filme e Lee, que ainda não descobriu uma forma a qual se adaptar. Mas que irá no decorrer da aventura assumir o corpo de uma loira gostosona que ele vê no pôster central de uma revista Playboy (com direito até a um grampo na barriga), interpretado pela voluptuosa Roxanne Kernohan, que morrera no auge de seus 33 anos em um acidente de carro.

Então cabe a Bradley, sua nova pretê, Megan Morgan (a gracinha Liane Curtis), os Caçadores de Recompensas e o xerife agora aposentado, Harv (Barry Corbin), mas que volta à ativa para meter bala nas criaturas, resolver o problema. Só que os Critters estão em muito maior número dessa vez, mais vorazes e mais sarcásticas e danadas do que nunca. Isso sem contar quando elas conseguem se transformar no Critter gigante. Desta vez os irmãos Chiodo não estão envolvidos na sequência (uma vez que estavam desenvolvendo seu hors concours do trash, Palhaços Assassinos do Espaço Sideral), então os efeitos dos monstrinhos intergalácticos ficaram por conta da equipe supervisionada por R. Christopher Biggs, responsável pelo FX das partes 4 e 5 de A Hora do Pesadelo, também para a New Line.

Outubro rosa

Outubro rosa

Falando em Freddy Krueger, não há como passar incólume com o memorável merchan da mesma New Line dentro de Criaturas 2, quando Lee ainda em sua crise de identidade, trocando de forma várias vezes durante o longa, se depara com um display do personagem eternizado por Robert Englund em frente à uma videolocadora, e por pouco não se transforma no assassino tostado, se não fosse a interferência de Charlie.

Diferente do primeiro Criaturas, que apesar da alta dose de humor negro, foca bem mais no suspense e na história da família Brown cercada pelos monstrinhos em sua casa, lutando pela sobrevivência, a continuação, escrita por Garris e David Twohy já não se leva nem um pouco a sério e eleva o potencial de exagero, fanfarronice dos Critters e também os momentos de sanguinolência.

Criaturas 2 faturou mais de três milhões de dólares nas bilheterias americanas (menor que seu orçamento de quatro milhões) e foi o último da série a ser exibido na tela grande, sendo que suas outras duas continuações (incluindo aí aquela com o Leonardo DiCaprio) foram lançado direto em vídeo.

Dupla dinâmica

Dupla dinâmica


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

4 Comentários

  1. Zé dos Clássicos disse:

    Onde estão os Horrorview e os top 5? Já foram postados todos os Horrorcast e até novos. Se não vai repostar os antigos, por favor, faça novos.

    • Hey Zé. Fique ligado que essa semana o TOP CINCO está de volta! o/

      Horrorview vai ficar mais um pouco em stand by pois estou MEGA enrolado correndo com a lista dos posts e completamente sem tempo! 🙁

      Abs

      Marcos

  2. Lembro quando assistia nos Corujões da Globo. Nunca entendia por que ela vivia reprisando esse e nunca passava o primeiro, que na época eu nunca tinha visto, e ficava sem entender bulhufas da importância do protagonista e as enormes referências que faziam ao predecessor. Me amarrava na bolona de pêlos e dentes. xD

  3. […] dia já foi o “diferencial”, criados pelos irmãos Chiodo, só lembrar daquela bola gigante em Criaturas 2) e atores do pior calibre, com atuações canastríssimas. E claro, aquela pegada ficção […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *