hellraiser_darkside_books

Bibliofobia: #03 – Hellraiser

No tears, please. O livro é tão bom quanto o filme!


Quando “Os Livros de Sangue” foram lançados nos EUA, em 1984, o nome do escritor britânico Clive Barker começou a ser catapultado para o hall da fama da literatura de horror moderno. Claro, quando lançados no Reino Unido os livros já causaram um burburinho modesto, mas nada se compara a ter alguém do calibre de Stephen King alegando que Barker seria o futuro do gênero. E foi essa súbita fama que tornaram “Os Livros de Sangue” em best-sellers extremamente populares, que o escritor aproveitou o gancho ops e publicou, primeiramente numa coletânea de antologias chamada “Night Visions Anthology” Series (lançada pela editora inglesa Dark Harvest), o seu conto de maior sucesso, Hellbound Heart.

A intenção principal de Barker, no entanto, era dirigir uma adaptação dessa história para o cinema, mas para isso precisava, evidentemente, de grana. Utilizou então o conto publicado para correr atrás de possíveis financiadores para o filme, e o resto é história: o filme Hellraiser – Renascido do Inferno foi lançado em 1987 e é considerado um dos maiores clássicos do terror, imortalizando o líder cenobita Pinhead como um dos grandes personagens do gênero, ao lado de vilões como Michael Myers, Freddy Krueger, Jason, entre outros tantos, e gerando um número infindável de continuações (a maioria bem ruim, mas isso é assunto pra outro texto).

Porém, o livro nunca havia sido publicado no Brasil, e os fãs da obra de Clive Barker ficaram a ver navios durante quase trinta anos, até que, em setembro do ano passado, a editora horror-friendly DarkSide Books lançou o dito cujo traduzido. A editora vem lançando, já a algum tempo, vários livros e roteiros de filmes que são verdadeiras pérolas para o público cinéfilo, sempre em edições impressionantes e com um material de alto padrão. A capa do Hellraiser é muito luxuosa, num material que imita o couro e as fissuras que remetem a Configuração de Lemarchand, que popularmente ficou conhecida como “Cubo das Lamentações”.

A premissa é aquela já conhecida para quem viu o filme. Acompanhamos o personagem Frank Cotton que, em sua busca desenfreada por novos prazeres e novas sensações, acaba tendo a Configuração de Lemarchand em mãos. Essa Hellraiser-Capa-3Dcaixa, ao ser aberta, invoca criaturas infernais que se apresentam como Cenobitas e que prometem experiências altamente prazerosas mas, ao mesmo tempo, totalmente dolorosas. Tentado com essa ideia sadomasoquista, ele acaba preso no Inferno, mas consegue fugir e pede para que Julia, sua ex amante que é casada com seu irmão Rory, o ajude. Frank precisa se alimentar para que possa ter seu corpo de volta, já que sua aparência física é um pouco mais que uma carcaça, e ele propõe que Julia seduza homens e os leve para sua casa, a fim de abatê-los como presas para Frank os devorar. Porém, os planos deles vão por água abaixo quando uma amiga de Rory, Krysten, acaba descobrindo os segredos que Julia esconde num quarto vazio e escuro de sua casa, segredos esses que incluem Frank e a tal Configuração de Lemarchand.

A história é bem curta, já que o livro possui míseras 150 páginas, e também muito fiel á contada no filme, apenas poucas coisas foram modificadas na adaptação; o fato de Krysten ser uma amiga do casal e não filha de Rory é uma delas e pode causar um pouco de confusão no início. Os cenobitas, que são personagens quase principais do filme, pouco aparecem na leitura, mas suas aparições são a peça chave para o final sangrento da história. É claro que perto do gore apresentado na versão cinematográfica, o livro pode até soar fraco numa primeira impressão, mas ainda assim, é uma leitura fundamental para qualquer fã do horror, e uma obra imprescindível de se ter em seu acervo particular.

A leitura extremamente fácil e suas artes muito bem apresentadas (incluindo belos desenhos e imagens nas últimas páginas) fazem com que seja impossível não se sentir acorrentado  ops² ao livro até o seu final.

IMG_0726

Arte para uns, rabisco para outros.


 

Ficha técnica:

Clive Barker – The Hellbound Heart – 1986
Tradução: Alexandre Callari
Lançamento no Brasil – 2015
Editora DarkSide Books


Niia Silveira
Niia Silveira
Mentalidade de Jack Torrance num corpinho de Annie Wilkes. Foi criada em locadoras e bibliotecas e se apegou ao universo do horror ainda pequena. Não cresceu muito em estatura de lá pra cá, mas sua paixão por sangue e desgraça aumenta a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *