bloody mouth guy

887 – Raiva (2010)

kalevet---rabies-movie-poster-2010-1020691124

Kelevet / Rabies


2010 / Israel / 90 min / Direção: Aharon Keshales, Navot Papushado / Roteiro: Aharon Keshales, Navot Papushado / Produção: Tami Leon, Chilik Michaeli, Aharon Keshales, Julia Schifer; Shraga Bar, Eyal Tassa, Yafit Tassa (Coprodutores) / Elenco: Lior Ashkenazi, Ania Bukstein, Danny Geva, Yael Grobglas, Henry David, Ran Danker, Liat Harlev, Yaron Motola


Raiva, o primeiro filme israelense de terror é um PUTA filme de terror, viu? Os realizadores estão de parabéns por um debute tão interessante!

Completamente WTF que subverte aquele padrão no cinema americano mainstream que estamos bem acostumados, o longa da dupla Aharon Keshales e Navot Papushado, que também escrevem o roteiro vai, da sua metade para o final, ficando tão desconexo, estranho, excitante, pulsante e sangrento, que nem parece a mesma fita que pendia para o clichê de seu início.

Explico: apesar de já deixar certo ar de mistério em sua cena inicial, onde um casal de irmãos se vê em uma situação que a moça está supostamente presa em uma armadilha de um assassino psicopata enquanto o rapaz vai procurar ajuda. Corta para dois casais, Yuval (Danny Geva) e Ofer (Henry David) e as belíssimas estonteantes Adi (Ania Bukstein) e Shir (Yael Grobglas – que você deve reconhecer do recente JeruZalem) que estão indo para uma partida de tênis e se perdem no meio de uma estrada que ladeia a floresta. O moço é atropelado e pede ajuda.

Pronto, você já torce o nariz pensando que Raiva será mais um daqueles filmes que seguem a fórmula padrão do slasher vindo dos EUA, que teremos um assassino psicopata, jovens perdidos na mata com hormônios em ebulição e tudo mais. Mas aí que você se engana, fã do horror.

RABIES.png

Dá uma luz

Uma cadeia de acontecimentos que envolverão esses personagens, e mais o tal assassino psicopata (que na real nem é o vilão declarado do longa), uma dupla de policiais e mais um outro casal, irá desarmar completamente o espectador que esperava aquela estrutura básica premeditada, optando por uma narrativa entrecortada, diálogos secos e rápidos, personagens com background e motivação diferentes, tudo até estourar em uma escalada de tensão crescente e uma explosão de raiva, justificada ou não, que vai selar o destino de todos os ali presentes.

Esse surto descontrolado, semeado por decisões precipitadas e violentas, vai revelando a verdadeira natureza humana de cada um, transformando o filme em uma ode a brutalidade que se transforma num psicótico banho de sangue, com os personagens sendo tingidos em vermelho em uma série de situações desconexas, tensas e complicadas, tudo permeado por uma deliciosa dose de humor negro que te faz rir de nervoso conforme o filme se desenrola.

Mas o verdadeiro pulo do gato da dupla de diretores israelenses é que em nenhum momento ele tenta se enveredar por um caminho previsível e dar alguma explicação, seja ela qual for, fácil para aquele arroubo de raiva e insanidade que acomete todos os personagens, exceto uma leve pista sugerida em seu final e que nem assim pode se dizer como uma conclusão cravada em pedra. Muuuuito diferente exatamente do que o cinema americano faria.

Raiva é um excelente e criativo exercício de horror, que por vir de Israel, já se diferencia do que estamos acostumados a ver no cinema tradicional, e que a todo momento, ora com doses de violência e tensão, ora com momentos cavalares de humor negro, sabe explorar e subverter conceitos e padrões pré-estabelecidos do slasher movie, resultando em uma ópera pessimista e que vale cada minuto de sua metragem.

bloody mouth guy.jpg

Isso que dá comer galinha ao molho pardo


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

1 Comentário

  1. Lutiane disse:

    Marcos, quando sai novo vídeo no YouTube? Tá meio parado por lá, vi só umas lives. Seria massa essa análise detalhada que vc faz aqui no blog feitas em vídeos. Parabéns pelo trabalho, acompanho o blog e o seu canal desde o começo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *