SHARKNADO: THE 4TH AWAKENS -- Pictured: (l-r) Ian Ziering as Fin Shepard, Masiela Lusha as Gemini -- (Photo by: Tyler Golden/Syfy)

Review 2016: #50 – Sharknado: The 4th Awakens

Mais bizarra e nonsense do que nunca, a franquia volta com a corda toda!


Quem diria, mas Sharknado chegou ao seu quarto capítulo e em grande estilo. Como se não bastasse a galhofa com um épico espacial famosinho aí no pôster e no título, a introdução da já anual produção do infame combo The Asylum + SyFy Channel se dá naquele formato clássico das letras amarelas rolando e explicando tudo que aconteceu até agora. Para constar que esses caras não estão pra brincadeira!

O filme aposta naquilo que fez ele um sucesso de público e, pasme, até mesmo de crítica (pelo menos o primeiro, com uma aprovação de 82% no Rotten Tomatoes):, a bizarrice, o nonsense, o humor pastelão e as situações inusitadas e impossíveis que só poderiam acontecer num roteiro de um filme do SyFy.

Cinco anos após o longa anterior, Fin Shepard se mudou para uma fazenda no Kansas, onde vive uma vida idílica com sua mãe e seu filho Gil, aquele mesmo que nasceu ao final do terceiro longa. O cientista Aston Reynolds desenvolveu, junto de sua empresa, a Astro-X, um tipo de teleporte, que lhe concedeu a possibilidade de trazer o pai de Fin, Gilbert Shepard (David Hasselhoff) de volta da lua. Além disso, após pesquisas, ele criou uma tecnologia capaz de usar ondas de rádio para desfazer tornados, dando um fim aos sharknados.

Fin e sua prima Gemini viajam para Las Vegas para encontrar Matt, seu filho mais velho. Enquanto isso, Reynolds está promovendo a inauguração de um hotel temático chamado Shark World que tem como atração um tanque gigante cheio de tubarões (??!!). Como nosso bravo herói é um pé frio do cacete, uma tempestade de areia se forma no deserto de Vegas e as torres AstroPods não conseguem desfazer o tornado, que atinge a cidade, sugando a água e os tubarões do tanque, criando o primeiro sharknado em cinco anos.

Atenção marujos, filme tosco á estibordo!

Atenção marujos, filme tosco á estibordo!

Daí é um show de bizarrices que vão desde um carro que cai do topo do hotel e sai andando normalmente até os sujeitos navegando em um daqueles navios atrações da Cidade do Pecado. É claro que Fin e sua família sobrevivem, afinal eles são os picas das galáxias – literalmente. Também é mostrado que o pai de Fin e sua neta, Claudia, agora trabalham para a Astro-X e estão desenvolvendo uma roupa robótica com armamento de ponta,com a quem lhes ajuda deé Wilford, pai de April, que acreditávamos ter morrido ao fim de Sharknado 3, mas na verdade foi reconstruída como uma ciborgue (??!!) come tem um braço retrátil que vira desde uma motosserra até um sabre de luz (!).

Ah, vale também dizer que outros elementos também constituem tornados no decorrer da chacota, como um “pedranado”, um “óleonado” um “fogonado”, um “britanado” e um “lavanado”. Sim, é tudo isso que você acabou de ler!

O quarto Sharknado também nos reserva a sequência MAIS BIZARRA da franquia, quando Fin e família são engolidos por um tubarão, que é engolido por outro tubarão, que por sua vez é engolido por mais um tubarão, que por fim é engolido por uma BALEIA (!!!!!). O pequeno Gil, que se escondeu dentro de um barril, rapidamente parte ao resgate com sua pequena motosserra e temos um déjà vú do primeiro filme, onde o pirralho abre a baleia e tira TODA A FAMÍLIA de dentro do bicho. Fin, que por sua vez estava inconsciente, é revivido pelo braço desfibrilador da esposa ciborgue e todos são felizes para sempre.

Para a alegria dos fãs (e pra infelicidade do nosso querido editor, Marcos Brolia), o filme deixa um cliffhanger para um quinto Sharknado, que sem dúvida é de tamanha bizarrice que cabe a mim deixar que você assista por conta própria. Sharknado: The 4th Awakens, com certeza é o mais fraco da quadrilogia e chega a incomodar em certo ponto com a direção, o roteiro com mais buracos que um queijo suíço, os diálogos, atuações e os efeitos especiais feitos no Movie Maker. Mas se você é que nem eu, que se diverte com essas coisas toscas e sem noção, com certeza vai acabar gostando, pois o filme conta com inúmeros cameos e tanta referência que faria o Capitão América ter uma convulsão (viu o que fiz aqui?).

2,5 críticanados para Sharknado: The 4th Awakens

SARRANADO!

SARRANADO!


Angelus Burkert
Angelus Burkert
Psicopata em formação. Pegou gosto pelo cinema de horror após ir até a sessão de VHS de terror na locadora e olhar todas as capas de filmes possíveis. Fã confesso de música e games, provável que não mude nada com o passar dos anos, exceto o amor pela carnificina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *