ed1

O verdadeiro Norman Bates

Como o assassino de Plainfield inspirou o personagem de Psicose e Bates Motel, além de outros ícones do cinema de horror


“Quando a polícia adentrou uma fazenda, na cidade de Plainfield, Wisconsin, procurando por uma comerciante local que estava desaparecida, eles ainda esperavam encontrá-la com vida, mas o que era apenas uma investigação rotineira estava prestes a se tornar uma das maiores histórias de terror já contadas. Na cozinha da casa totalmente embebida pela escuridão, uma carcaça humana jazia pendurada pelos pés, sem cabeça, totalmente extirpada. Naquela manhã gelada de novembro, os pesadelos da equipe policial estavam apenas começando; mal sabiam que aquele corpo retalhado era o menor dos problemas que eles encontrariam naquela fazenda.”

Apesar do trecho acima se passar tranquilamente por um roteiro ou sinopse retirados de algum filme de terror, o mais assustador na história de Ed Gein é que ela é real. Aqui, a máxima de que “A vida imita a arte” é totalmente levada ao oposto, já que o macabro senhor serviu como inspiração pra muitos filmes e séries, sendo inclusive considerada um divisor de águas para a arte do gênero.

Mas quem diabos foi Ed Gein?ed2

Bom, pra entender sua história precisamos cavá-la (hm) lá atrás, em sua infância. Edward Theodore Gein nasceu em 27 de agosto de 1906, em La Crosse, no estado americano de Wisconsin. Seus pais eram George e Augusta Gein, e também havia um primogênito, Henry, que era sete anos mais velho que Ed. George, o patriarca, sempre foi visto pela esposa como um homem fraco. Não arranjava trabalho, vivia bêbado e não ajudava em nada na casa e na criação dos meninos, ou seja, o sujeito era um péssimo pai. O único motivo para Augusta não se separar de George era religioso, já que ela acreditava que o matrimônio era algo a ser sustentado até o fim da vida, como mandam os preceitos cristãos.

O fanatismo religioso de Augusta (assim como seu gênio difícil e dominador), no entanto, pode ser considerado um dos gatilhos que desencadearam todos os transtornos psicológicos de Ed. Extremamente rígida, ela impunha códigos morais totalmente patriarcais em seus filhos, pregando que as mulheres eram seres inferiores e perversos, causadoras de todos os males do mundo. Temendo que seus meninos fossem direto para o inferno, ela tentava constantemente desencorajar os desejos sexuais que aparecem na adolescência, reprimindo-os severamente ao longo da vida.

ed3Mudaram-se para Plainfield, no mesmo estado, em 1914. Com as economias de Augusta, que trabalhara duro numa mercearia na antiga cidade, a família conseguiu se estabelecer numa fazenda afastada do restante da cidade, onde conseguiriam viver isolados de todos os pecados que poderiam existir ali. Apesar de tentar fazer os Gein viverem numa redoma de vidro, a mulher não conseguiu evitar de Henry e Edward frequentarem o colégio.  Infelizmente, o jeito delicado e tímido do pequeno Ed eram alvos perfeitos para os valentões do colégio, que praticavam bullyings severos, o que fazia com que o menino se afundasse cada vez mais na leitura (seu hobby favorito!), e buscasse ainda mais a companhia de seu irmão e, claro, da mãe. Apesar dos maus tratos, Ed a admirava e a via como um ser puro, adorando-a como uma santa num pedestal, o que aumentou ainda mais depois da morte de seu pai, em 1940.

Henry observava esse apego materno de Ed crescer com certa preocupação, já que era o único que via a possível demência de sua mãe, e sempre a criticava para o irmão, o que pode ter ocasionado sua morte prematura. Durante um incêndio que estava se aproximando cada vez mais da fazendo dos Gein, os irmãos se perderam um do outro na tentativa de apagar as labaredas. Quando o incêndio cessou, Ed decidiu comunicar à polícia o desaparecimento do seu irmão, que foi encontrado posteriormente, um pouco afastado do local afetado pelo incêndio, e com hematomas na parte posterior da cabeça. Apesar das suspeitas dos policiais, o caso foi encerrado e a causa mortis de Henry foi constatada como asfixia.

Cinco anos depois, foi Augusta quem faleceu, mas dessa vez não houve nada suspeito, e sim uma sucessão de derrames cerebrais. Ed, claro, ficou profundamente abalado, pois perdera sua única amiga e familiar, ficando só pela primeira vez em sua vida. O evento teve desastrosos efeitos no psicológico ndele, então com quase quarenta anos de idade. E foi então que uma das histórias mais doentias já contadas começou a ser traçada.

ed4Até aqui, você já deve ter notado a semelhança com Psicose, estou certa? Realmente, o diretor britânico Alfred Hitchcock baseou-se no livro homônimo, publicado em 1959 por Robert Bloch, que havia criado seu personagem, Norman Bates, livremente inspirado em Ed Gein. Então, ainda que o final do livro/ filme seja conhecido por boa parte do público fã de horror, eu preciso continuar contando a história de Ed. Porque agora é que a coisa fica macabra de verdade.

Ed aparentemente não soube lidar com a solidão e desenterrou sua mãe, Augusta, e levou o cadáver putrefato para fazer-lhe companhia em sua casa. Tal qual o longa de Hitchcock e também como visto no season finale da quarta temporada de Bates Motel. Não obstante, passou a fazer visitas noturnas no cemitério local, onde desenterrou outros tantos cadáveres de mulheres que se pareciam com sua mãe. Levava-os para a fazenda, os limpava, dissecava, estudando-os e, mais do que isso, admirando-os. Retirava as peles para fazer adornos para sua casa, costurava roupas com essas peles, usava os ossos como objetos e utensílios domésticos.

Eu sei, a essa altura você também lembrou de um outro clássico do cinema do horror. E mais uma vez está correto! O Massacre da Serra Elétrica foi lançado pelo diretor Tobe Hooper em 1974 e, mais uma vez, um personagem havia sido inspirado por Ed Gein, dessa vez Leatherface. Sempre com sua famigerada motosserra em punho, o grandalhão utilizava suas vítimas para confeccionar objetos, como sua famigerada máscara feita de retalhos humanos.

ed5

Porque assim como Leatherface, um personagem fictício, Ed Gein não se contentou apenas em roubar corpos em decomposição para fazer-lhe companhia, passou também a matar pessoas. Apesar de uma lista extensa de desaparecidos que podem ou não terem sidos vítimas do maníaco, Ed Gein assumiu a autoria do assassinato de apenas duas vítimas: Mary Hogan e Bernice Worden, ambas conhecidas na cidade e, obviamente, parecidas com Augusta. Foi com o desaparecimento de Bernice, inclusive, que conseguiram descobrir a vida doentia que Ed levava, já que era conhecido em Plainfield por ser um sujeito pacato, tímido e mas com alguns pequenos problemas de ordem mental.

O filho de Bernice, que era dona de uma casa de ferragens, quando deu falta de sua mãe, foi ao comércio e encontrou uma cena bizarra: a loja estava totalmente revirada e havia uma trilha de sangue. Os policiais então encontraram uma pista: um recibo de compra que mostrava que a última pessoa a estar na loja enquanto Bernice ainda estava viva era Ed.

ed6Foi ao adentrar a fazendo da família Gein que os policiais se depararam com aquela cena macabra que citei lá em cima, no primeiro parágrafo deste artigo. No dia 17 de novembro de 1976, foi dado o início de uma exaustiva e longa busca na casa e por toda a fazenda. Ali encontraram coisas como: abajures feitos de pele humana, cadeiras forradas também com pele humana, tigelas de sopas feitas com crânios serrados, um cinto feito de mamilos, máscaras de pele humanas feitas retiradas de nove mulheres diferentes, também nove vaginas numa caixa de sapato (entre elas, uma especial, pintada de prata, era a de sua mãe), um terno inteiro feito de pele, um colete feito de um tronco feminino (que incluía os seios), entre tantos outros objetos feitos de corpos e ossos. Crânios decoravam sua sala, além de órgãos na geladeira e em panelas no fogão. Foram necessárias mais de 30 viagens feitas pelo Departamento de Polícia para coletar todas as evidência que a casa continha.

Acredita-se que depois da morte de Augusta, Ed havia decidido fazer uma cirurgia de mudança de sexo. Já que a mãe havia podado todo tipo de contato com o sexo oposto, ele encontrou essa maneira de lidar com o assunto. Usava o tronco feminino que havia feito com o cadáver de alguma moça, além de usar as vulvas dissecadas dentro de suas calças e as máscaras, para encarnar sua finada mãe, que era sua principal referência na vida. Ele gostava de se sentir como uma mulher, e frequentemente usava as roupas de Augusta para fazer tarefas domésticas como varrer a casa ou cuidar do jardim.

ed7Esse lado da personalidade feminina que Ed mantinha, e querer ser sua mãe, além de Bates, também inspirou um outro clássico do cinema: O Silêncio dos Inocentes. Nele, o personagem Buffalo Bill, interpretado por Ted Levine, mata mulheres e retira suas peles, saciando o desejo de se sentir como uma mulher.

Ed foi preso, e depois de um interrogatório que durou alguns dias, confessou ter desenterrado vários corpos e também ter assassinado Mary Hogan e Bernice Worden. Apesar disso, durante a investigação, a polícia achou um esqueleto na fazenda, o que aumentou a suspeita de que ele havia matado muito mais pessoas do que assumira; mas apesar da busca extensa e dos exames feitos em laboratórios, nunca conseguiram culpar Ed por mais nenhum crime além dos quais ele já havia confessado.
Os psicólogos o diagnosticaram com esquizofrenia, segundo eles, Ed era “um maníaco sexual”. Os médicos o julgaram como mentalmente instável, o que impediria uma punição legal, então sua sentença foi ser internado por tempo indeterminado num hospital psiquiátrico do Estado. Cumpriu sua pena e faleceu em 1984, aos 78 anos, vítima de uma falha cardíaca e respiratória. Apesar de figurar o hall da fama dos serial killers, Ed Gein não pode ser tecnicamente considerado como um, já que o número de assassinatos cometidos por ele é pequeno.

Porém, é notoriamente conhecido como uma das mentes mais doentias que já existiram, e seu legado de horror mudou para sempre a história da criminologia e, porque não dizer, a história literária, musical e cinematográfica.

Ed Gein inspirando geral nas telonas e nas telinhas:

Psicose (Psycho – 1960)

Hitchcock adapta o livre de Robert Bloch, onde a relação de Ed com sua mãe é traduzida para o personagem Norman Bate, e cria um dos maiores clássicos do cinema.

Menino de ouro da mamãe!

Menino de ouro da mamãe!

O Carrasco de Pedra (It! – 1967)

Roddy McDowall é um curador de um museu que descobre a forma de controlar um golem de pedra ao seu bel-prazer. Acontece que o sujeito é pancada também por guardar o esqueleto da mãe sentada numa cadeira de balanço na sala e trocar ideia com ela .

it golem

Isso é o golem, e não a mãe, tá…

Confissões de Um Necrófilo (Deranged – 1974)

Alan Ormsby (parça de Bob Clark) conta em tom documental a história de Ezra Cobb, inspiradíssimo no assassino de Plainsfield. Tudo com maquiagem de Tom Savini.

You're under my skin

I’ve got you under my skin

O Massacre da Serra Elétrica (The Texas Chainsaw Massacre – 1974)

Nosso querido Leatherface costura rostos de pele humana tal qual o sujeito Gein, e ainda tem uma casa bem inspirada na humilde residência do psicopata.

Foi aqui que pediram um Uber Pool?

Foi aqui que pediram um Uber Pool?

As Chamas do Inferno (Don’t Go In the House – 1979)

Donny Kohler é um cara perturbado que cresceu sobre intenso abuso psicológico de sua mãe sádica, o que fez com que crescesse com ódio pelas mulheres e as perseguisse com um… LANÇA CHAMAS.

Sem dar spoiler!

Sem dar spoiler!

O Silêncio dos Inocentes (The Silence of the Lambs – 1990):

Buffalo Bill queria ser uma mina! E por isso, o doido raptava mulheres para esfolá-las e costurar um novo corpo para ele mesmo, tal qual Gein.

O movimento é sexy!

O movimento é sexy!

Ed Gein – O Serial Killer (In the Light of the Moon – 2000)

Steve Railsback interpreta o mais notório dos assassinos em uma cinebiografia que narra sua vida

Na revolts!

Noite do Terror (See no Evil – 2006)

Jacob Midnight curte matar mulheres e arrancar seus olhos para a sua coleção particular. Tem lá seu quezinho de Ed Gein também com seu modus operandi, esse doido!

Cirurgia da catarata

Cirurgia da catarata

Ed Gein – O Assassino de Plainfield (Ed Gein: The Butcher of Plainfield – 2007)

Mais uma cinebiografia de Gein, daquelas bem levemente baseadas, dessa vez com Kane Hoder, o eterno Jason, dando vida ao assassino.

Usando OUTRA máscara

Usando OUTRA máscara

American Horror Story: Asylum

O inofensivo psiquiatra Olver Thredson, papel de Zachary Quinto, divide sua vida trabalhando no Briarcliff Mental Institution e também sendo o serial killer Bloody Face, que curte arrancar o rosto das pessoas e costurar em si mesmo

Nem um pio, hein?

Nem um pio, hein?

Bates Motel

Versão para jovens adultos do surgimento do psicopata em Norman Bates, interpretado por Freddie Highmore, trazendo como pano de fundo sua relação com sua mãe, Norma (Vera Farmiga) ao comprarem o famoso motel de beira de estrada que leva seu sobrenome

Ai, deixa eu esconder as vergonhas

Ai, deixa eu esconder as vergonhas


Niia Silveira
Niia Silveira
Mentalidade de Jack Torrance num corpinho de Annie Wilkes. Foi criada em locadoras e bibliotecas e se apegou ao universo do horror ainda pequena. Não cresceu muito em estatura de lá pra cá, mas sua paixão por sangue e desgraça aumenta a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *