TheDevilsCandy_1920x1080

TOPE NOVE – Metal e Horror

Enquanto escrevia a crítica sobre The Devil’s Candy, revisitei mentalmente vários filmes de terror e bandas de metal que tiveram algum contato direto entre si. Considerando as semelhanças entre os dois gêneros e mídias, que vão desde as associações que o grande público faz entre os mesmos e o satanismo, além da marginalização e do nicho de fãs, essas duas preciosidades que tanto admiro parecem andar lado a lado. A presente lista fará uma ponte entre alguns dos casos mais notórios dessa combinação dos infernos, não necessariamente como um ranking!

9 – Chemical Wedding (2008)

Aqui está um filme que dificilmente aparecerá em qualquer outra lista, tamanha sua falta de qualidade. Com uma aparência bizarra de filme para a televisão britânico dos anos 90, o longa sobre Alestair Crowley é perfeito para essa lista por um simples motivo: ter sido roteirizado Bruce Dickinson, frontman da melhor banda de metal de todos os tempos: o Iron Maiden. O filme é composto por várias ideias que já haviam aparecido na carreira solo do artista, que tem uma música de mesmo nome. Não obstante, a trilha do filme é basicamente composta por músicas do Iron Maiden e de sua fase solo. Sem dúvidas a melhor coisa sobre ele.

How happy is the human soul / Not enslaved by dull control

How happy is the human soul / Not enslaved by dull control


8 – Deathgasm (2015)

Oriundo do mesmo continente que The Devil’s Candy, Deathgasm é puro metal extremo. O protagonista é um metaleiro antissocial e revoltado que executa uma música ritualística com sua banda e libera demônios sobre a terra. Com uma trilha sonora pesadíssima, com canções das bandas Pathology, Bulletbelt e Emperor, entre outras, o filme é porrada sonora do começo ao fim. Ah, um outra banda que é regular no filme, é turma do Elm Street. Adivinha só de onde vem o nome dos caras?

Deathgasm e morte por vibrador, combinação perfeita

Deathgasm e morte por vibrador, combinação perfeita


7 – Heavy Metal do Horror (Trick or Treat – 1986)

O título em português já diz tudo! Essa pérola oitentista que chegou a receber o título de “O Rock do Dia das Bruxas” ganhou destaque graças à uma duplinha de atores bem peculiar: Ozzy Osbourne e Gene Simmons, duas das figuras mais polêmicas do rock. Frequentemente associados com o Capiroto, fazia todo sentido. Já a capacidade de atuação dos dois…

Segura esse solo

Segura esse solo


6 – As Três Máscaras do Terror (Black Sabbath – 1963)

Aqui teremos uma referência inversa. Quando Ozzy, Tommy, Geezer e Bill se juntaram para, inadvertidamente fundarem o heavy metal, batizaram sua banda de Earth. Porém, como já havia outra banda com o mesmo nome, resolveram homenagear um de seus filmes favoritos, o italiano I tre volti della paura, de um carinha desconhecido, tal Mario Bava. Obviamente, os ingleses optaram pelo nome inglês do longa, Black Sabbath, que tornou-se nada mais nada menos que uma das maiores e mais influentes bandas da história da humanidade, independente de gênero. Bava não poderia receber honraria maior.

Fairy Wear Boots

Fairy Wear Boots


5 – Phenomena (1985)

Em comparação com outros componentes dessa lista, o longa de Dario Argento parece ter uma conexão bem leve com o metal, já que estamos falando de algumas músicas apenas. Apesar disso, a peculiaridade de escolhas e o resultado marcante obtido fazem dele um ótimo candidato. Com a maior parte da trilha composta pelo grupo Goblin e por Claudio Simonetti (assim como da maior parte dos longas de Argento), a inclusão das músicas “Flash of the Blade”, do Iron Maiden e “Locomotive”, do Motorhead, parecem escolhas arbitrárias e sem muito sentido. No entanto, casaram perfeitamente com as cenas em questão, imbuindo um ritmo alucinado ao filme e contribuindo para que ele se tornasse uma das obras mais únicas dentro da carreira de Argento.

J.C. Diva do metal

J.C. Diva do metal


4 – O Exorcista (The Exorcist – 1973)

That’s much too vulgar a display of power”, ou “ isso seria uma demonstração vulgar de poder”, é o que disse a pequena Regan, enquanto possuída, para o padre Karras em O Exorcista. É daí que saiu o nome “Vulgar Display of Power”, um dos álbuns mais influentes do metal e marco na carreira do Pantera. Além disso, a banda Possessed também mostrou-se influenciada pelo longa de Friedkin, tanto no próprio nome como na música “The Exorcist”, que utiliza parte da trilha original.

Essa seria uma demonstração vulgar de poder. ENTÃO TOCA FUCKING HOSTILE PORRA!

Essa seria uma demonstração vulgar de poder. ENTÃO TOCA FUCKING HOSTILE PORRA!


3 – Nascido do Inferno (Craddle of Fear – 2001)

Outro músico a se aventurar no mundo do terror cinematográfico foi o roqueiro Dani Filth, da banda de metal extremo Cradle of Filth. O som desses caras costuma ser porta de entrada para os lados mais sombrios do metal, apesar de que eles raramente são apreciados dentro desse mundo mais obscuro. Ou pelo menos costumava ser assim. O filme é uma antologia de horror que conta com participação ativa de todos os integrantes da banda.

You spin my head right round

You spin my head right round


2 – Alma Diabólica (Dark Floors – 2008)

Seguindo os passos da galerinha do Cradle of Filth, os integrantes da banda finlandesa Lordi também consideraram-se dignos de se tornarem um filme de terror. A banda, que sempre se utilizou de uma estética do horror, caracterizando-se como monstros, criando músicas e clipes sobre o tema, parecia uma escolha perfeita para fazer tal transição do universo cinematográfico para o musical. Dark Floors foi um dos filmes mais caros realizados na Finlândia e obteve uma recepção morna da crítica.

- Tem um monstro debaixo da minha cama. / - AH, NÃO ME DIGA.

– Tem um monstro debaixo da minha cama. / – AH, NÃO ME DIGA.


1 – A Hora do Pesadelo 3 – Os Guerreiros dos Sonhos (A Nightmare on Elm Street 3 – Dream Warriors – 1987)

Não é muito difícil acertar quais são os filmes mais populares na franquia A Hora do Pesadelo. As escolhas dos fãs raramente saem do trio original + Guerreiros dos Sonhos + O Novo Pesadelo. Uma das vantagens da terceira parte da franquia nessa disputa é que o filme tem sua própria música tema versão metal, com direito a clipe e tudo, pela banda Dokken. Com participação de Patricia Arquette e do próprio Robert Englund, o clipe mostra Krueger tendo um pesadelo – QUE PLOT TWIST, MEUS AMIGOS! -, no qual os integrantes da banda o derrotam para poder salvar Kristen.

Come back here bitch!

Come back here bitch!


Daniel Rodriguez
Daniel Rodriguez
Fã de horror em suas diferentes formas, principalmente cinematográfica. Incapaz de adentrar igrejas, pelo risco de combustão espontânea, dedica sua vida pagã a ensinar inglês, escrever sobre o gênero e, mais recentemente, fazer seus próprios filmes.

4 Comentários

  1. pedro disse:

    sério, o filme “O Portal da Ressurreição” (2000) deveria ter sido colocado pelo menos nas menções honrosas nesta lista

  2. mivhell disse:

    Faltou outro ótimo filme, Black Roses (1988).
    o filme 3 é péssimo demais, asim como a dita banda.

  3. deborah disse:

    by diablito 666 hehehehe.
    adorei o tope nove 🙂

  4. elton disse:

    Posso está enganado, mas pelo que eu me lembro, li em algum lugar que Ozzy e Iommi, apenas batizaram banda com o mesmo nome do filme, mas até então, nunca tinham visto o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *