donnie-darko

OST #10 – Donnie Darko

Coelhinho da Páscoa o que trazes pra mim?

– Pesadelos, distúrbios e estragos assim…

Em época de Páscoa nada melhor do entramos no mundo sombrio de Donnie Darko! PUTA filme insano que não caiu nas graças do público de imediato mas tornou-se com o tempo um verdadeiro novo-cult. O diretor e roteirista Richard Kelly fundiu a ficção, thriller, elementos de horror com a realidade, sem contar o elenco de peso que fez uma boa diferença, capitaneado por um jovem Jake Gyllenhaal. Um clássico indie cultuado que obteve várias críticas positivas devido ao enredo.

Donnie é um jovem problemático – que usa uma estúpida fantasia de humano – diagnosticado com esquizofrenia que tem ajuda de um coelho gigante (por sinal, muito do macabro), que prevê o futuro e lhe crava o fim do mundo. Com certeza cada um vai tirar suas próprias conclusões em um dos finais mais complexos e debatidos da história do cinema, e só vendo o filme para tentar entender o universo que fora ali criado.

A trilha sonora ajudou bastante para o clima pro filme, tanto que também foi indicada a vários prêmios. As músicas oitentistas – retratando a década em que o filme é ambientado – estão perfeitamente encaixadas, como por exemplo no show de talentos onde as meninas dançam “Notorious” do Duran Duran e paralelamente Donnie põe fogo na casa do fulano pedófilo ao som de uma música instrumental, ou então a abertura com Donnie pedalando ao som de “Killing Moon” do Echo & The Bunnymen, ou quando acompanhamos o tour pela escola enquanto toca “Head Over Heels” do Tears for Fears.

Também figuram na OST outras bandas clássicas dos anos 80 que influenciaram toda uma geração, como INXS, Oingo Boingo e Joy Division, além de uma versão de Gary Jules para Mad World, originalmente gravada também pelo Tears For Fears.

Dê o play para animar seu feriado de Páscoa:


Val Vallone
Val Vallone
Paulista, professora de inglês, foi apresentada aos primeiros filmes de terror por sua mãe ainda criança, apaixonando-se por Christopher Lee, Peter Cushing e Bela Lugosi. Quando adolescente, conheceu o universo dos games e também os incluiu em suas prioridades de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *