JvR5wWT

OST #11 – O Enigma do Horizonte

Em 2017 completa vinte anos da estreia de O Enigma do Horizonte. Dirigido por Paul W. S. Anderson (hoje mais famoso pela franquia Resident Evil) e com o roteiro de Philip Eisner (A Era da Escuridão, Vingança em Chamas) o space horror assustou muito marmanjo com suas cenas de terror psicológico e carnificina.

O longa conta a história da nave espacial Event Horizon que fica desaparecida muitos anos e retorna do nada após uma viagem por um buraco de minhoca. Com ela, algo terrível que afeta os tripulantes que passam a manifestar seu lado obscuro, os levando a loucura. Física, metafísica, horror e muita ficção estão presentes, só que desta vez ao contrário dos clichês que os espectadores estão acostumados, com direito a consultoria de ninguém menos que Clive Barker. Infelizmente não foi um grande sucesso, sofreu nas mãos dos produtores devido ao número de cortes, mas há quem diga que é dos melhores sci-fi de horror já lançados e completamente injustiçado

A trilha sonora mescla perfeitamente o eletrônico do Orbital e o instrumental de Michael Kamen, tendo a participação do The Prodigy nos créditos finais do filme com sua porradeira adorável.

Michael Kamen, maestro, compositor e arranjador se tornou o queridinho de Hollywood sendo indiaco ao Oscar pela trilha de Robin Hood e também pela trilha de Don Juan de Marco. Trabalhou com a banda Metallica que ganhou o Grammy em 2001 na categoria Melhor Rock Instrumental. Pink Floyd, David Gilmore, Roger Waters e a orquestração de Who Wants to Live Forever do Queen estão em seu currículo.O cara era Fodão, mas infelizmente faleceu em 2003. 🙁

Já a dupla inglesa de música eletrônica, Orbital, formada pelos irmãos Paul e Phil Hartnoll, se destaca pela mistura de sons percussivos, toques de ambiente music, synth pads e ruídos metálicos e industriais muito presentes na músicas conhecidas como EBM. O nome da banda é uma referência à rodovia M25 em Londres onde rolavam várias festas insanas as quais os irmãos frequentavam no final dos anos 80. Devido ao tipo de som, participaram de várias campanhas publicitárias e trilhas de filmes e também produziram várias bandas e cantores como a islandesa Björk.

Por último, mas não menos importante, os ravers britânicos do The Prodigy foram nos anos 90 uma das principais bandas da música eletrônica com uma atitude punk rock, distribuindo clássicos clubbers repletos de batidas quebradas e selvageria, e o breakbeat Funky Shit, uma de suas tracks mais emblemáticas de seu mais importante disco, “The Fat of The Land”, foi emprestada para encerrar com a adrenalina lá em cima essa odisseia espacial do horror.

 


Val Vallone
Val Vallone
Paulista, professora de inglês, foi apresentada aos primeiros filmes de terror por sua mãe ainda criança, apaixonando-se por Christopher Lee, Peter Cushing e Bela Lugosi. Quando adolescente, conheceu o universo dos games e também os incluiu em suas prioridades de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *