Hellraiser_Renascido_do_Inferno (1)

30 Anos de Hellraiser: O legado de Clive Barker

“Nós vamos despedaçar a sua alma!”


Foi no dia 13 de maio de 1987 que  Hellraiser – Renascido do Inferno fazia sua estreia no lendário festival de Cannes, na França. Há 30 anos, um clássico nascia. Sendo escrito e dirigido pelo grande artista Clive Barker, esse filme que teve gasto em sua criação 900 mil dólares, lucrou cerca de quatro milhões de dólares em seu lançamento nos cinemas, quatro meses depois. Sendo uma fecunda franquia em termos comercial, até o momento, nove filmes (além dos livros e dos diversos quadrinhos) foram criados dando continuidade as destruições de corpos iniciadas há três décadas. Com tanta história, se faz necessário uma reaproximação de toda a mitologia criada por Barker para que não esqueçamos o quão grande foi, e ainda é, esse trabalho. Aqui só traremos  os detalhes expostos nos filmes, então se algum ponto que você viu nas HQs e nos livros não surgir, já sabe a razão.    

Para começarmos, parece justo iniciarmos nossa jornada com o portal que nos levará para dentro do próprio Inferno: O Cubo das Lamentações.

O Cubo das Lamentações

Também chamado de “A Caixa de Lemarchand”, esse quebra cabeça foi construído por um construtor de brinquedos chamado Philip Lemarchand em 1784 à pedido do Duque L’Isle. Esse último era um rico aristocrata francês com muito estudo na área do ocultismo. Através de um ritual envolvendo o artefato construído por Lemarchand e um sacrifício humano, foi possível trazer ao nosso mundo um demônio para que aquele que o invocou obtivesse tudo aquilo que desejasse. Infelizmente para o Duque, ele foi traído pelo seu aprendiz sendo morto e perdendo a oportunidade de usufruir da dádiva demoníaca.

Esse complexo quebra-cabeça tem em si a essência de um ritual. Para conseguir abri-lo é preciso vontade, estudo do mesmo e uma grande determinação. O poder por detrás dele é tão grande que nos momentos que antecedem a sua abertura, os seus resolutores entram em um estado quase obsessivo, onde não conseguem fazer nada além de dedicarem à aquela atividade. Quando o cubo está quase aberto, essa obsessão passa a ser acompanhada pelos sons de sinos que anunciam a abertura do portal para o Inferno. Por lá, virão os Cenobitas em busca do bom sofrimento.

Faz-se necessário lembrar que, devido à grande exploração comercial sofrida pela franquia, houveram leituras diversas desse processo de abertura do portal infernal. Em algumas HQs da série, como aquelas compiladas em Hellraiser Masterpieces vol. 1 e vol. 2, podemos ver um caça-palavras e os socos de um pugilista conseguindo acessar outra dimensão, por exemplo. Por essas alternativas não serem exploradas no universo cinematográfica da franquia (e por serem extremamente ridículas) decidimos falar unicamente do Cubo das Lamentações.

Muitas caixas estão espalhadas pelo mundo. Em Hellraiser 2: Renascido das Trevas, o Dr. Channard se mostra um grande colecionador desse enigma maldito. O anfitrião em Hellraise 8 : O Mundo do Inferno também possui várias Caixas. Como elas nunca foram usadas ou nomeadas durante os filmes, seus poderes são desconhecidos. Nos utilizando de um ponto posto pela personagem Kirsty no final do livro Hellraiser, perguntamos: será que essas outras caixas poderiam acessar outras dimensões além daquelas que nos foram apresentadas?

hellraiser_1_02

A criação do Cubo

Simon Sayce, o designer por detrás desse icônico quebra-cabeça, afirma que buscou inspiração para a sua criação nos antigos quebra-cabeças chineses. Entretanto, para ele seria um tanto tedioso ficar apenas com essa influência, por isso também buscou inspiração em escritos e simbolismos tribais vindos da África do Norte. Ao fazer a Caixa, o criador da mesma optou pela utilização de madeira com todos os lados medindo exatamente três polegadas. Esse número, diz, possuí um importante simbolismo que não poderia ser ignorado: na tintura da caixa foi utilizada uma mistura de mogno com marfim. As gravuras são extremamente delicadas feitas através da utilização de sofisticadas mesas de desenho e banhos de ácido. Se observarmos com atenção aos desenhos estampadas na Caixa, perceberemos que eles não são simétricos e se distinguem uns dos outros por pequenos detalhes.

Sayce possuía muitas ideias que poderiam ser postas nas laterais de sua criação e foi testando-as uma a uma até que algumas se mantiveram. Linhas observadas por determinados ângulos lembram um rosto feminino, que ele chama de “A Bela Mulher”, e um homem agachado segurando uma caixa. Também encontra-se desenhado na caixa o rosto do próprio Frank Cotton (antagonista do primeiro filme) sendo perpassado por uma lâmina. Outros itens ilustrados na Caixa seriam inúmeros instrumentos cortantes. Segundo Sayce esses instrumentos teriam sidos inspirados por uma exibição de instrumentos cirúrgicos e de tortura que ele teria visitado. O Engenheiro, uma das criaturas que habitam o Inferno de Barker, também teria uma referência sua estampada na Caixa quando esta tomasse sua forma de estrela.

Esses desenhos escondidos pelo Cubo teriam, diz Sayce, o intuito de advertir e também instruir aqueles que viessem a tentar solucionar o nefasto quebra-cabeça.

Hellraiser

Os Cenobitas

A palavra cenobita significa “aquele que vive em uma comunidade” ou “que vive retirado do mundo”. Os dois significados do termo parecem se aproximar dos seres Infernais da Ordem de Gash.

Os Cenobitas são seres extra-dimensionais invocados através do Cubo das Lamentações. Essas criaturas variam muito em seus estilos e motivações. As únicas constantes que parecem existir entre eles é que todos devem passar por algum tipo de ritual, onde suas características físicas são radicalmente modificadas, e seu acesso à Terra só é possível mediante uma quebra no espaço e no tempo, proporcionada pela Caixa. Também devemos lembrar que seres não humanos também podem se tornar Cenobitas, como é demonstrado em Hellraiser IV: Herança Maldita, onde temos um verdadeiro cão dos infernos.  

Eles são como carcereiros do Inferno e estão todos a serviço de Leviatã, uma criatura poderosa que comanda o mundo inferior. A relação de subserviência da Ordem de Gash – nome que o grupo dos Cenobitas recebe – nunca foi propriamente explicada nos trabalhos cinematográficos. Entretanto, eles parecem agir mais como captores, buscando vítimas que desestabilizam a passagem entre as dimensões para infligir nelas dores e prazeres além da compreensão humana. Eles não possuem nenhum traço de personalidade de suas condições anteriores. Não há nesses seres demonstração de qualquer coisa que nos remeta a empatia.

Quando eles torturam suas vítimas, em seus lábios podemos ver um prazer sádico se formando. Quando buscam vingança ou não são capazes de obter aquilo que eles desejam, uma raiva titânica explode de suas faces. Ao que parece, seus pensamentos são simplificados e transformados em cálculos que se baseiam em relações de estímulo. Como já extraíram o máximo de seus sentidos físicos, assistir e provocar a dor alheia transformasse em uma fonte de prazer inesgotável. Por isso não podem se dar ao luxo de perder uma vítima ou abdicar de uma vingança. Um niilismo profundo adormece no cerne desses seres.

2013-11-29-CHATTERER0510x8

Os Pseudo Cenobitas

Os Pseudo Cenobitas são Cenobitas que ainda não passaram por todo o processo de transformação para se tornarem completos. Como nos é apresentado em Hellraiser 2: Renascido das Trevas, existe uma câmara por onde os candidatos a Cenobitas devem passar. Lá, todas as modificações físicas necessárias para a conclusão do processo de metamorfose aconteceriam. Entretanto, em alguns momentos durante o desenrolar da franquia, podemos observar que para a criação de lacaios que se assemelham aos Cenobitas não se faz necessário a passagem do candidato pela câmara.

O Engenheiro

Mesmo não se tratando de um Cenobita ou de uma variação dos mesmo, achamos por bem tratar dessa criatura nessa sessão. Esse ser é o único do tipo que aparece na série cinematográfica. Acredita-se que ele seja um demônio que nasceu e foi criado dentro do labirinto do Inferno.

As revolução dos Cenobitas

Durante o desenvolvimento da franquia, a natureza e os propósitos dos Cenobitas foram sendo modificados. No primeiro filme da série, embora tenhamos a palavra Inferno sendo dita constantemente, não existe qualquer ligação óbvia entre ele e a Danação da mitologia judaico-cristã. O modo com que os Cenobitas praticam seus “prazeres” e o reino onde eles habitam parecem ser chamados de infernais ou demoníacos simplesmente por falta de uma outra referência melhor. Aos olhos das vítimas, criadas em uma sociedade cristã, essa parece ser a associação mais plausível. Isso é reforçado por uma fala de Pinhead para Kristy, onde ele diz que ele e os demais Cenobitas já haviam sido chamados de demônios e também de anjos. Eles se mostram completamente apáticos e, como foi dito anteriormente, niilistas ao sofrimento alheio, sempre dando prioridade ao seu estilo de vida.

Já no segundo filme uma relação mais maniqueísta se instaura naquele universo. O mundo onde habitam os Cenobitas é postulado como Inferno – embora ele ainda seja visualmente distinto da perspectiva tradicional do mesmo. Ao invés de Satã/Lúcífer em seu trono, temos Leviatã, um deus abstrato que assume a forma de um octaedro prateado que flutua no centro do Inferno-Labirinto.

Com Hellraiser III: Inferno na Terra e Hellraiser IV: Herança Maldita as pretensões hedonistas que os Cenobitas possuíam são completamente abandonadas. Pinhead surge como um demônio no sentido literal que tentará conquistar a Terra e subjugar toda a humanidade. Em Herança Maldita temos uma premissa crucial em um dos subplots do filme que diz que o Inferno está sofrendo uma revolução onde sua própria estrutura estaria sendo modificada.

No quinto filme da franquia, temos uma fábula de teor moralista sendo contada. Embora a trama da película esteja diretamente conectada a uma ideia de Inferno, os Cenobitas não são apresentados como entidades predatórias. Eles surgem como punidores que vem em busca daqueles que pecaram. Algo similar acontece na sequência. Em Hellraiser: Caçador do Inferno, existe uma mistura da mitologia apresentada nos dois primeiros episódios da série e a natureza moralista que foi explorada posteriormente.

Em Hellraiser: O Retorno dos Mortos, temos claras indicações, dadas por Pinhead, que os Cenobitas são seres demoníacos e não aqueles niilistas apresentados no princípio da franquia.

O oitavo filme pouca acrescenta a mitologia desses seres, uma vez que se trata de uma metafilme que se valerá de vários pontos distribuídos pela série.  Por fim, em Hellraiser: Revelations, temos um retorno a natureza exploradora e indiferente dos Cenobitas, apresentada nos dois primeiros filmes da franquia.

178212-hellraiser-cenobites-princess-angelique-and-andquottwinsandquot

As Faces dos Cenobitas

Ao total, por meio dos filmes da série, nos sãos apresentados 19 Cenobitas e Pseudo Cenobitas. Aqui falarei um pouco sobre cada um deles.

The Female –  A Irmã Nikoletta era uma freira muito interessada na natureza do Pecado. Por fim, ela se tornou obcecada pelo próprio desejo. Um dia, um homem que percebeu seu encanto pelo pecaminoso entregou a ela o Cubo das Lamentações. Após abrir a caixa, ela teve seu corpo perfurado por arames e sua garganta exposta por ganchos.

Chatterred – Talvez o mais interessante dos Cenobitas e aquele com a história de maior potencial. Chatterred aparece juntamente do quarteto original da franquia no primeiro filme. Com seus lábios rasgados de modo brutal por ganchos e seus olhos completamente destruídos, esse monstruoso representante da Ordem de Gash, em sua forma humana, não passa de um garotinho. O que será que teria levado essa criança a decifrar o Cubo das Lamentações?

Butterball – Laslo era um pervertido homem obeso que via no pecado uma fantástica forma de prazer. Ele foi arrastado para o Inferno e convertido em Cenobita após ter encontrado um sofisticado quebra-cabeça que prometia prazeres além da imaginação.

Pinhead – O mais importante dos Cenobitas será analisado mais profundamente a frente.

Channard – O Doutor Philip Channard é o principal antagonista do segundo filme da série. Ele é o psiquiatra que comando o Channard Institute, local onde Kristy foi internada após os acontecimentos do primeiro filme. Sabendo sobre da existência dos Cenobitas ele é levado por sua curiosidade a se tornar um deles.

CD – Tendo sido anteriormente um DJ, esse Cenobita cego e surdo faz sons eletrônicos ao caminhar e atira CDs cortantes na direção de suas vítimas.

Dreamer – Terri era uma sem-teto que entrava e saía de um relacionamento abusivo. Extremamente frustrada com sua falta de poder diante dos abusos que sofria, acabou se tornando uma presa fácil para Pinhead.

Pistonhead – Dono de uma badalada boate, J.P. Monroe é um colecionador de arte macabra que acaba se deparando com uma grotesca escultura que lhe chama a atenção. Ao descobrir que estava diante da morada temporária de Pinhead, ele recebe inúmeras promessas de poder vindas do Cenobita e acaba se tornando mais um membro das hordas infernais.

Camerahead – Antes uma câmera-man de uma estação de notícias, esse cenobita tem acoplada em sua cabeça uma câmera capaz de explodir crânios e, através de seu sistema hidráulico, empalar corpos.

Angelique – Originalmente, ela era a princesa do Inferno – filha de Leviatã. Angelique foi obrigada a possuir o corpo de uma mulher humana ao ter sido vítima de um ritual efetuado pelo Duque De L’Isle. Presa em uma condição mortal, essa Cenobita buscou com todas as forças destruir a linhagem dos Lemarchand e qualquer chance que eles possuíssem de acabar com os poderes da Caixa das Lamentações.

Siameses Twins – Mark e Michael Norrington eram irmãos inseparáveis que seriam seguranças em uma exibição feita por um dos descendentes dos Lemarchand. Uma noite antes da exibição, eles ouviram um som no local que eles guardavam. Entrando prontamente em ação, elas acabam ouvindo uma conversa entre Pinhead e Angelique, sendo condenados pelo primeiro a ficar juntos para todo o sempre. Esse Cenobita possui um dos visuais mais interessantes apresentados nas criaturas da série.

The Chatterred Beast – Um monstruoso cachorro feito de carne humana que serve como cão de guarda de Pinhead.

Wire Twins – Elas são as filhas lascivas de Leviatã. Em tempos antigos, elas eram veneradas pela beleza que possuíam em altares de adoração. Essas gêmeas Cenobitas são predadoras sexuais que irão usar sua beleza surreal e sua luxúria inesgotável para satisfazer os prazeres e dores sexuais de todas as almas do Inferno.

Torso – Sendo o Cenobita mais violentamente modificado, esse ser é apenas um par de braços ligados por um torso extirpado e lábios rasgados.  

Stitch – Gabrielle era a filha de um pastor megalomaníaco no século XVII. Ao contrário de seu progenitor, ela nunca encontrou qualquer conforto na Bíblia. Sendo sentenciada à fogueira pelo próprio pai, encontrou a salvação um dia antes de sua morte quando um estranho lhe entregou o Cubo das Lamentações. Gabrielle resolveu o quebra-cabeça e foi para o Inferno para ser poupada.

Surgeon – O bem sucedido médico Deacon Vrainain era conhecido como o mais habilidoso cirurgião do mundo. Seu sucesso exponencial o enchia de orgulho e arrogância. Até que ele acabou matando sua esposa em um procedimento médico e assim perdeu a sanidade. Em sua busca para cessar seu desespero, ele encontrou uma pequena caixa de madeira que continha um enigma. Ao resolvê-lo, Pinhead surgiu e ofereceu uma chance de fazer com que ele esquece de toda aquela dor. Sem pensar duas vezes, Deacon aceitou.

Bound – O passado dessa Cenobita é misterioso, mas há rumores que ela foi a esposa de um maníaco homicida.

Little Sister – Uma menina brilhante, com um fantástico futuro pela frente se não fosse o vazio que existia dentro do seu ser. Ao encontrar o Cubo das Lamentações, esse espaço oco em seu peito enfim foi preenchido.

The Pseudo Pinhead – Com um visual que lembra uma versão primitiva de Pinhead, esse jovem abriu o Cubo das Lamentações em uma viagem que fez ao México.

A criação dos Cenobitas

Barker, ao desenvolver a estética dos Cenobitas, teve muita influência da moda punk, do Catolicismo (especialmente dos processos de mortificação que a religião possui) e de suas visitas aos clubes de Sadomasoquismos localizados em Nova York e Amsterdã. Os processos de modificação corporal, em particular aqueles que envolvem perfurações – piercings e suspensões – também tiveram uma notória influência na identidade visual dessas criaturas. As pesadas vestimentas de couro também aludem a utensílios de açougue. Para irmos adiante sobre o desenvolvimento imagético desses ícones do horror devemos falar do mais famoso dos Cenobitas: Pinhead!

hellraiser-cigarette-burns-poster

Pinhead

Existem muitas monstruosidades sagradas no horror: Frankenstein, Drácula, Michael Myers, Freddy Kruger, Jason Voorhens, Leatherface… Outro grande símbolo que está ao lado de todos esses monstros no grande panteão de vilões do gênero é Pinhead.

Antes de sua transformação, era Elliot Spencer, um reconhecido soldado que lutava na Primeira Guerra Mundial até se deparar com o Cubo das Lamentações. Como aparentemente ocorre durante a metamorfose de todos os Cenobitas, ele não guardou memórias de sua vida anterior e se tornou o líder da Ordem de Gash. Entretanto, como não estamos falando de um Cenobita qualquer, durante o desenrolar da franquia temos acesso as memórias desse ícone do gênero do horror e compreendemos um pouco mais de sua história.

No primeiro filme, descobrimos pouco sobre ele. Sabemos apenas aquilo que nos é dito em linhas gerais sobre todos os Cenobitas. Na sequência cinematográfica, Pinhead começa a recordar acontecimentos de sua vida após Kirsty mostrar para ele uma foto sua antes da transformação. No terceiro filme, vemos que a consequência dessas memórias em Pinhead causam uma reversão para a sua antiga forma humana, só que ela passa a dividir o mesmo corpo que o Cenobita. Sem os limites que eram postos pela sua essência humana, Pinhead passa a instaurar a destruição na Terra e busca seu total domínio. Para impedir isso, Spencer consegue escapar do limbo onde estava e combate sua contraparte até a vitória.

Com o quarto filme, vemos a aliança do cabeça de pregos com a princesa infernal Angelique. Eles buscam, por meio dessa união, a destruição da linhagem dos Lemarchand e de qualquer possibilidade de destruição dos portais que ligam o Inferno até a Terra. No quinto filme, o líder Cenobita tortura o detetive Thorne durante a narrativa devido aos atos pecaminosos que esse havia cometido. A próxima película da série reaproxima Kirsty de seu antigo algoz. Novamente, existe a negociação entre os dois em que Kirsty oferece a alma de uma outra pessoa para que a sua seja poupada. No sétimo e no oitavo filme, nada significativo nos é mostrado sobre Pinhead. O mesmo acontece com o último filme da franquia até então.

0-Pinhead-Feature-1024x719

A criação de Pinhead

Segundo Clives Barker e Doug Bradley, as primeiras encarnações de Pinhead surgiram em dois filmes dirigidos por Barker em outros momentos: Hunters in the Snow e The Forbidden. Esses filmes trouxeram importantes elementos visuais que futuramente iriam ser incorporados na criação do cabeça de pregos. Depois de se sentir desapontado com o modo que o seu material havia sido tratado no filme Underworld, Barker decidiu escrever o livro Hellraiser como o primeiro passo para poder dirigir um filme.

Falando especificamente de Pinhead, Barker buscou suas inspirações visuais em figuras fetichistas africanas, talvez por isso, ele desejasse inicialmente que seu personagem tivesse um piercing no umbigo que estivesse diretamente ligado a um piercing genital. Aparentemente, a ideia não vingou (ou será que vingou?).

Após conseguir um financiamento para  realização de seu projeto, Barker reuniu uma grande equipe para desenvolver o visual dos Cenobitas. Essa equipe acabou criando quatro ou cinco roupas de “super açougueiros” enquanto os detalhes das escarificações dos personagens estavam sendo ajustados. Em julho de 1986 estava clara para todos os envolvidos que o Cenobita com a cabeça repleta de pregos era o líder.

A interpretação de Pinhead  

Durante os oito primeiros filmes da franquia, Pinhead foi interpretado por Doug Bradley. Devido a sua perícia em tirar e aplicar os implantes de pele falso necessários para a sua maquiagem, Doug foi creditado em alguns filmes como assistente de maquiagem. Quando ele leu o script de Hellraiser – Renascido do Inferno pela primeira vez, achou que Pinhead seria um cruzamento entre Oscar Wilde e Noel Coward. Quando foi perguntar a Barker sobre como ele deveria interpretar o papel, Barker disse: “tente imaginar uma mistura entre um administrador e um cirurgião que é responsável por todo um hospital, onde não existem avisos, apenas operações assistidas. Você precisa ser o cara que segura o bisturi e o cara que cronometra o tempo das cirurgias”.   

A maquiagem aplicada em Bradley levava cerca de seis horas para ser finalizada. A primeira vez que foi completamente aplicada, o ator pediu para ficar alguns momentos sozinhos para entrar no personagem enquanto se olhava no espelho. Barker sugeriu que ele tentasse evitar o máximo de expressões faciais com o intuito de dar a Pinhead uma aura de controle.

O futuro do cabeça de pregos e de sua mitologia

Sem uma data de estreia para seu lançamento, Hellraiser: Judgement será o próximo filme da franquia. Ele não contará com a presença de Bradley no elenco novamente e Barker concordou em escrever apenas o recomeço da série. Ao analisarmos tudo o que já desenvolvido dentro desse universo, nos soa complicado acreditar em um bom novo início de uma série já consagrada (mas repleta de altos e baixos).

Entretanto, como pudemos observar no decorrer deste artigo, nunca houve uma firmeza em dizer como a franquia deveria seguir. Uma hora falamos de seres extra-dimensionais, em outra trabalhamos com demônios e  magia. O suposto desenvolvimento da história nos quadrinhos e nos livros também não construiu nada que mantivesse uma coerência entre as narrativas.

O futuro é incerto e sombrio, mas ainda temos fé de que a melhor franquia de horror já feita, segundo este que vos escreve, ainda poderá ser tratada com a atenção e o respeito que ela merece.

Fontes:

https://en.wikipedia.org/wiki/Cenobite_(Hellraiser)#cite_note-FOOTNOTEMcWilliam201674-1

http://www.faqs.org/faqs/movies/hellraiser-faq/

http://www.pitofhorror.com/newdesign/hellraiser/pages/faq.htm

http://www.clivebarker.info/pinevolution.html

https://www.youtube.com/watch?v=VIa14ZUDrJw

https://en.wikipedia.org/wiki/Lemarchand%27s_box

https://www.youtube.com/watch?v=OcX2sYlTq2U&index=10&list=PL8cFRP3iiSjVWHDY90hFeyElY24R4Ub5j

The_Order_of_the_Gash


Tauami de Paula
Tauami de Paula
Estudante de Letras e de Filosofia, esse apreciador do absurdo e do inexplicável sempre encontrou mais sentido na arte do que na vida. Sendo raramente visto fora de casa, passa os dias lendo, escrevendo e criando teorias sobre tudo aquilo que não entende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *